vai-e-faz_720x90
vai-e-faz_720x90
ATUALIZAÇÃO

Caminhoneiros fazem protestos pelo país; saiba qual a situação nas rodovias

Caminhoneiros realizaram protestos em rodovias do país na manhã desta quinta-feira (9)

09/09/2021 07h43
Por: Paraíba Todo Dia
Fonte: Band
Foto: Divulgação/Jornal do Caminhoneiro
Foto: Divulgação/Jornal do Caminhoneiro

Caminhoneiros realizaram protestos em rodovias do país na manhã desta quinta-feira (9). De acordo com informações do último boletim do Ministério da Infraestrutura e da Polícia Rodoviária Federal (PRF) houve registro de protestos nos estados da Bahia, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Rondônia, Roraima, Santa Catarina, São Paulo e Tocantins. 


Rodovias liberadas pela PRF para o livre trânsito de caminhões:

BR-040/Minas Gerais

BR-116/Rio de Janeiro (Dutra/Barra Mansa)
BR-040/Rio de Janeiro (Reduc)
BR-101/Espírito Santo
BR-376/Paraná
BR-153/Goiás (Anápolis)

As manifestações são feitas principalmente por apoiadores do presidente Jair Bolsonaro e são reflexo dos atos de 7 de setembro. Sem um comando unificado, ao contrário do movimento de 2018, os motivos para os protestos dos motoristas são variados, indo desde desde o apoio às pautas bolsonaristas até a alta no preço dos combustíveis.

 

Em São Paulo há 21 pontos de protestos de caminhoneiros monitorados pela Polícia Militar. Os atos estão espalhados em rodovias, mas nenhum deles bloqueia totalmente o fluxo de veículos. A maioria ocupa os acostamentos e uma faixa.

 

Um dos piores trechos é na rodovia Régis Bittencourt, principal ligação entre as regiões Sul e Sudeste. A rodovia Fernão Dias tem 5 quilômetros de congestionamento, em Igarapé, na altura do km 513.

 

No Rio de Janeiro, cerca de 80 caminhoneiros fazem um bloqueio no sentido Petrópolis da Rodovia Washington Luís, na altura da Refinaria de Duque de Caxias. 

 

Os manifestantes impedem a passagem de caminhões na pista principal, gerando um quilômetro de retenção. Há bloqueios também na BR-101 e na BR-493.

 

Em Minas Gerais, os protestos ocorrem em pelo menos três rodovias. Um trecho da BR-040 em Paracatu, próximo a Unaí, na região Noroeste do Estado, chegou a ficar totalmente bloqueado, mas o fluxo foi liberado nos dois sentidos. 

 

Na região metropolitana de Belo Horizonte, os caminhoneiros fazem um bloqueio na BR-381, na região de Igarapé. Além disso, a Polícia Rodoviária Federal registrou um outro protesto na BR-262, em Conselheiro Lafaiete, também na Grande BH.

 

No Espírito Santo, a mobilização de caminhoneiros acontece em 10 pontos de rodovias federais que cortam o estado. Em nenhum deles há bloqueio de estrada.

 

O ponto mais complicado é na BR 101, em Viana, principal corredor logístico que liga ao norte e ao sul do país.

 

Na Bahia, pelo menos três estradas federais que cortam o Estado têm bloqueios. Segundo a Polícia Rodoviária Federal, a situação acontece nas BRs 116, 101 e 349.

 

No Paraná, nove pontos de rodovias federais registram mobilizações de caminhoneiros. Eles estão concentrados em três trechos da BR 369 – tanto nos municípios de Andirá, Sta. Mariana e nas imediações do quilometro 157 em Londrina, na região norte do Estado.

 

Também na BR 373 caminhoneiros se mantêm concentrados no quilômetro 254 – na entrada para a cidade de Guamiranga.

 

Na BR 376 – uma das principais estradas que cortam o Paraná, as mobilizações ocorrem nos quilômetros 109 em Paranavaí, 158 em Mandaguaçu, 188 em Marialva – e já na região dos campos gerais o ponto de manifestação é no quilômetro 504 em Ponta Grossa.

 

Na BR 476 muitos caminhoneiros passaram a noite concentrados no quilômetro 285 em São Mateus do Sul. Segundo a PRF por enquanto os caminhoneiros se mantêm nos acostamentos e não bloqueiam nenhum trecho.

 

No Rio Grande do Sul, caminhoneiros estão concentrados agora em ao menos três rodovias estaduais e uma rodovia federal. Há bloqueio total neste momento na BR 153, na altura do km 415 em Cachoeira do Sul.

 

Também há registro de protestos nas regiões dos vales do Caí e do Rio Pardo, no centro do estado, e na serra gaúcha, mas de acordo com a polícia rodoviária estadual não há bloqueios neste momento. 

 

Em Goiás, dois trechos da BR-153 estão bloqueados por caminhoneiros. Um deles em Itumbiara e o outro em Porangatu.

 

Ao longo do dia também houve bloqueios em Mineiros, Santa Rita do Araguaia, Luziânia, Campo Alegre de Goiás e Caçu. Todos esses trechos, no entanto, foram liberados.

 

Em Brasília, caminhoneiros continuam estacionados no entorno da Esplanada dos Ministérios. O bloqueio ocorre desde domingo à noite e a polícia negocia a liberação do trecho.

 

 

Pontos de bloqueio

São Paulo

Régis Bittencourt

A rodovia Régis Bittencourt, que liga São Paulo a Curitiba, está totalmente bloqueada no km 280, na região de Embu das Artes. Dois quilômetros de lentidão registrados no sentido norte, com todas as faixas interditadas. O tráfego é desviado para o acesso do município de Embu das Artes (SP).

 

Um homem chegou a ser preso no bloqueio porque estava furando pneus de caminhões que não quiseram aderir ao ato. Ele foi contido pela equipe da PRF, mas nenhuma das vítimas quis representar, portanto ele foi liberado. Ele pagou os prejuízos que causou às vítimas e foi liberado. 

 

Rodoanel 

Trecho sul do Rodoanel foi liberado para o tráfego de veículos, após manifestação de cerca de 200 caminhoneiros. O grupo ocupou as faixas 3 e 4 em ambos os sentidos.

 

Presidente Dutra

A concessionária responsável pela rodovia Presidente Dutra informa que não há protestos neste momento. Apesar da dispersão, ainda há registros de filas nos três pontos, onde eram realizados atos de caminhoneiros

 

Na cidade de Caçapava (SP), no km 130, um grupo realizou protestos nos dois sentidos. Os ouvintes da BandNews FM relataram tráfego lento em Pindamonhangaba (SP), onde teve um ato perto do km 92. Em Lorena (SP) um protesto no km 52 foi registrado.

 

Fernão Dias

A rodovia Fernão Dias tem bloqueio, no km 513, na região de Igarapé (SP). Apenas caminhões e veículos de carga estão sendo parados no ponto de manifestação. Nos dois sentidos há cinco quilômetros de filas em cada lado com interdição de uma faixa e acostamento.

 

Outras rodovias

O DER informa que, na manhã desta quinta-feira (9), há caminhoneiros posicionados nos acostamentos de algumas das rodovias administradas pelo Departamento, sem atrapalhar o fluxo das vias. São elas:

 

- SP 563, km 0, em Teodoro Sampaio (SP): Interdição do Acostamento

- SP 270, km 245, em Paranapanema (SP): fora da pista

- SP 264, km 120, em Salto de Pirapora (SP): Fora da pista

- SP 270, km 204, em Angatuba (SP): Acostamento

- SP 250, km 228,7, em Capão Bonito (SP): Fora da pista

 

Rio de Janeiro

Cerca de 80 caminhoneiros fazem um bloqueio no sentido Petrópolis da Rodovia Washington Luiz, na altura da Refinaria de Duque de Caxias. Os manifestantes impedem a passagem de caminhões na pista principal, gerando um quilômetro de retenção.

 

Mais cedo um caminhoneiro procurou a reportagem da BandNews FM, e afirmou que só teve a passagem liberada após mostrar a nota fiscal dos medicamentos que transportava.

 

De madrugada, motoristas chegaram a flagrar uma barricada com pneus pegando fogo na via. A Polícia Rodoviária Federal acompanha o ato. Mais cedo, um ouvinte da BandNews FM, que preferiu não se identificar, chegou a dizer que um dos manifestantes abordava os demais caminhoneiros com um pedaço de pau na mão, mas com a chegada da PRF o homem parou de usar o objeto.

 

De acordo com a Polícia Rodoviária Federal, há ainda ameaça de fechamento da BR-101, em Campos (RJ), no norte do estado, sentido Rio de Janeiro, onde manifestantes também fazem o bloqueio para impedir a passagem de veículos de carga.

 

São cerca de 200 pessoas no local. Por lá só passam caminhões com carga viva e insumos hospitalares. Na BR-493, em Itaboraí (RJ), na Região Metropolitana, também há movimentação de manifestantes.

 

A Dutra chegou a registrar bloqueios nesta quarta-feira (8), mas está sem a presença de caminhoneiros na paralisação no trecho do Rio de Janeiro, nesta quinta-feira (9).

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.