INVESTIMENTO

Prefeitura de Campina Grande reforma estrutura do ISEA e vai transferir para anexo pacientes com suspeita ou diagnóstico da covid-19

Novo prédio, já em construção, garante mais segurança às gestantes e aos profissionais de saúde

07/04/2021 10h13
Por: Paraíba Todo Dia

A Prefeitura de Campina Grande, através da Secretaria de Saúde Municipal, já iniciou a reforma de um prédio anexo à maternidade do Instituto de Saúde Elpídio de Almeida (ISEA), no Centro da cidade. O objetivo é instalar os leitos de covid-19 nesta unidade da nova estrutura. Além de comportar melhor as pacientes com suspeita ou diagnóstico positivo para a covid-19, a mudança também promoverá mais segurança às outras gestantes, para os bebês e também aos profissionais de saúde da maternidade.

 

O novo prédio terá capacidade para a instalação de 16 leitos, mesma quantidade que hoje são exclusivos para pacientes com suspeita ou diagnóstico positivo do novo coronavírus que funcionam na estrutura interna da maternidade.

 

Com essa ampliação, a ala existente para casos de covid-19, dentro da unidade do Isea, voltará a ser destinada exclusivamente para pacientes com outras necessidades, inclusive, com ampliação desses atendimentos. Como não há a necessidade de isolamento e maior distanciamento entre cada leito, a capacidade da ala passará de 16 para 24 acomodações.

 

“Todo o atendimento vai passar a ser realizado nesse anexo, para não haver a chamada contaminação cruzada. Apesar de termos todo o cuidado com relação a isso e de termos feito um trabalho de isolamento das alas dentro da maternidade, agora nós vamos ter a oportunidade de separar os fluxos de atendimento. Contudo, toda a estrutura da maternidade segue ficando à disposição nos casos necessários para as pacientes com covid”, explicou o secretário Municipal de Saúde, Filipe Reul.

 

A UTI materna, exclusiva para a covid-19, segue dentro da maternidade. Nela existem seis leitos disponíveis. Nesse momento, apenas uma paciente se encontra internada na UTI, com suspeita de infecção pelo novo coronavírus, e outras cinco estão nas alas de enfermaria.

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários